sábado, 30 de janeiro de 2010




Eu queria poder voltar no tempo, voltar para a velha casa de madeira, com janelinhas coloridas,
deitar na minha cama estreita com lençois perfumados.
voltar para as aulas de educação para o lar e aprender novamente a tecer tiras e tiras de correntinha em crochê, bordar infinitos
pontos cruz, aprender a fazer Monteiro Lopes.
Queria poder voltar as matinês de domingo no cine Macapá, ao beijo roubado no meio da tarde, aos abraços escondidos,ao toque de mãos que aceleravam o coração.
Queria poder voltar a correr com a minha turminha de rebeldes sem causa, dançar na chuva, descobrir os segredinhos nas conversas dos adultos.
Voltar aos sofrimentos dos amores platonicos e mal resolvidos.
Mas o tempo é cruel e não para, passa com a velocidade de um trem bala e eu fiquei para tras...
Então escolho ser livre, livre-se você também da prisão que sou eu,
porque sendo livre não voltarei mais para te alimentar com minhas lamuriosas doses de amor...

Nenhum comentário: