sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Historias de Fazer Sorrir




Esta é a fotografia mais importante da minha vida. Esta é a capa da boneca do meu livro. Um livro que escrevi em 1999 quando a minha Aninha tinha três anos de idade, na realidade o livro foi escrito para ela, para ajuda-la a conhecer nossos mitos e lendas.

Vivíamos nessa época uma reviravolta na nossa cultura, o marabaixo e o batuque passaram a ser cultuados pela juventude, a musica amapaense era tocada nas emissoras de rádio e televisão, nosso teatro lotava com as peças teatrais amapaenses. Nunca tínhamos vivido uma fase assim, alias lembro que vários estudantes, que faziam faculdade em outros estados, tinham vergonha de dizer que eram do Amapá, a partir de 1996 passaram ter orgulho de dizer "sou do Amapá".

Levei para a educação dos meus filhos o mesmo costume da minha mãe, contava historinhas enquanto os fazia dormir, fazia isso com Ariel, só que teve um momento que percebi que estava reproduzindo e ensinando para minha filha uma literatura que não era nossa, então, passei a contar as historias que minha mãe me contava, mãe do ouro, Iara, boto, contava e recontava as historinhas, até que chegou o dia em que fui contestada por ela, "mãe a historia não é assim, você esta contando errado", claro eu nunca lembrava exatamente o que tinha dito.

Um dia sentei no computador e escrevi as historinhas para ter um roteiro, o livrinho foi sendo compartilhado com amigas da Ariel, com amigas minhas, depois com professores e finalmente virou tema de um trabalho interdisciplinar na FAMAP.

Acalentei, durante muito tempo, o sonho de lançar o livro, mandei fazer as gravuras, escrevi e reescrevi cada conto, mas todas as vezes que pensava em lançar aparecia um novo projeto, um novo trabalho, e eu fui deixando o meu sonho de lado.

Quando o Kayke partiu eu arranjei uma nova desculpa, estava sofrendo e novamente deixei o projeto esquecido. em 2011 tomei a decisão, marquei a data no teatro, mas a briga na cultura novamente me fez desviar o caminho.

Pensando em voltar para a produção cultural, agora em 2013, fiquei pensando em que artista eu poderia produzir, então sonhei que estava conversando com seu Waldir da Benoliel, pedindo patrocínio para um show e no meio do projeto que estava apresentando apareceu a capa do "Historinhas de Fazer Sorrir", acho que Deus, ou a espiritualidade veio me avisar que a artista era eu, está na hora, na minha hora.

Levantei da cama e passei a madrugada fazendo o projeto, no dia seguinte fui a gráfica Policores e deixei o original para que a boneca fosse feita.

Não sei quanto vai custar a edição e o lançamento, mas de uma coisa eu tenho certeza, eu conseguirei, porque sei trabalhar e tenho a força de Deus me apoiando. O lançamento será no Teatro das Bacabeiras, possivelmente em maio, já criei a decoração do teatro e sei que será um grande sucesso.

Alguém duvida disso?

Nenhum comentário: