sábado, 2 de fevereiro de 2013





E eu, que nunca me vi poeta, aprendi a compor versos em parceria, estou aqui relendo o que eu, Willian Cardoso e Jandira costa escrevemos e pensando, como é bom ter o dom da escrita poder dividir com as pessoas os nossos sentimentos. Essa é a nossa brincadeira do Facebook, ficou linda, entrego a vocês com o carinho e a leveza da minha alma perfumada com cheiro de rosas desabrochadas.

Se eu fosse uma melodia que som teria? 
Um suave acorde de violino em uma valsa austríaca, ou as batidas fortes do ritmo no violão flamenco?
Se eu fosse um pássaro qual seria? Um beija flor colhendo o néctar das flores todas as manhãs ou uma fênix que renasce das cinzas sempre que necessário?
Se eu fosse uma pedra preciosa como seria? Uma perola em sua cor nacarada e fria ou um rubi em seu vibrante e quente vermelho?
Se eu fosse um sabor que gosto teria? O doce suave da pera quando desmancha na língua ou o sabor do vinho um seco na boca que desce quente pela garganta?
Se eu fosse um sentimento qual seria? O prazer que rouba os sentidos e se instala nas veias e nos músculos sensual e incontrolável ou o amor delicado e suave, mas quente e agradável?
Se eu fosse um perfume que cheiro teria? O perfume inebriante de uma rosa vermelha em pleno desabrochar ou o perfume do lírio que com sua cor vibrante e seu perfume suave que faz o coração acelerar.
Se eu fosse uma fruta qual seria? A maçã envenenada ou a fruta que adão comeu? Se eu fosse o vento...pra onde eu iria? Viajaria com a velocidade da luz e desvendaria pradarias, vales e montanhas, ou viajaria como uma brisa suave que desmancha os cabelos, mas não levanta os vestidos.
Se eu fosse um acorde que tom teria? O do verão onde me vejo..onde toco os raios de sol cantarolando à luz da lua as mais belas trovas...e um verso que exprime o desejo...de compor mais uma entre essas lindas canções!

Araciara Macedo
Willian Cardoso
Jandira Costa

Nenhum comentário: