segunda-feira, 11 de março de 2013

Conversa em prosa e verso



Araciara Macedo e Willian Cardoso
18:30
Acordar e não te ver ao lado é como nascer sem chorar...é como abrir a janela e não ver o sol brotando sobre as nuvens da aurora boreal..é como não sentir o perfume das rosas que enfeitam o meu jardim..o meu jardim de flores onde tu pousas como um beija-flor...um beija-flor de olhos verdes...e de beijo encantador..acordar sem te ver..é como não abrir os olhos..é como não ver..
é como não acordar..
é como não dormir..
é como não deitar ou levantar..
e se levanto me peço para voltar a dormir..
porque talvez ali estejas..
em meus sonhos..
nas lembranças que guardo
no lugar mais escondido do meu coração..
não este que pulsa o sangue
em minhas artérias..
mas onde se processam todos os meu sentimentos
sentimento de dor..
de saudade...de paz..
de harmonia..
da agonia em não te ter ao meu lado...
ah como é ruim acordar sem te ter sobre mim..
me fazendo visitar as estrelas sem sair da cama..
pois sobre a cama repousa o teu espírito nobre..
sobre a cama esta a tua pele nua de rainha inca..
sobre mim esta a tua mão que me afaga o peito..
este peito onde descansa a tua cabeça e me pedes
em sussurros que te ame..
ah como é triste acordar e não te ter...
Ah querido meu, carinho do meu carinho, pele da minha pele, quisera eu poder sair dos teus sonhos e me tornar real, quisera eu atravessar o tempo e espaço e pesar sobre o teu corpo, sussurrando em teus ouvidos a minha posse, deitar tua cabeça sobre meu seio desnudo e afagar a tua nuca, tatuando em tua pele a marca dos meus dedos, te amar de forma insana, te possuir como ninguém ousou, te dar  a minha preciosidade e te ter como ninguém mais te teve
ah querido meu, carinho do meu carinho, pele da minha pele, quisera eu sair dos teus sonhos para possuir o que me foi prometido, ter teus braços em volta do meu corpo teus lábios sobre os meus sorvendo a vida, a eternidade...
Ah querida minha...venha pro nosso ninho..faz de mim teu poeta encantador...desabroche a tua ternura sobre as minhas costas...não me parta o coração assim tão de repente...deixe-me pelo menos um sorriso em frente a porta...me acorde com seus acordes dissonantes...faça com que eu cale de tanto amor..ou grite de paixão pelos corredores do desejo..do desejo de te ter na minha alcova..do desejo de te ter como a extensão do meu coração!! Beije-me sem cessar com teus lábios de hortelã.. e me tire o fôlego...me dê só um pouco mais deste amor que não finda!!
então venha...
rompa o tempo com a força do amor que há em ti...
passe sobre os campos...
pule as muralhas...
atravesse por entre os povos inimigos..
vença a dor..
a fome..o cansaço..
deixe pra trás tudo...
e venha ao meu encontro..
pois não sei acordar sem te ter ao lado!!
não sei e não quero saber!!
sou teu..
e você é minha..
venha...venha..venha!!!

queres realmente a minha posse meu guerreiro? Queres que atravesse todo o campo inimigo para me ter ao teu lado?
para que durmas acordada sobre o meu leito e me acompanhe as musicas..para que faças sobre mim versos de ternura que me tatuem a alma..para que te zangues comigo e faça um bico onde eu deixo um pedaço dos meus lábios e me lambuzo como quem toma açaí...
irei então amor do meu amor, irei e tatuarei em teu corpo a impressão dos meu lábios, para que todas que passarem pela cama do meu guerreiro saibam que nós nos pertencemos como metades da mesma alma, e que nosso amor passe assim pela eternidade, de forma mágica
te espero..te espero com meu violão..te fazendo canções e versos de ternura...te espero com meu coração na mão..venha e me liberte desta prisão sagaz e deste caminho errante..me liberte da masmorra da solidão..invada a minha alma com teu desejo..e me derrame todo o seu amor tão puro...
irei meu guerreiro, a força do teu amor me tornou real, irei meu guerreiro, derrama pétalas de rosas sobre a nossa alcova, acenda incensos perfumados, separa essência de sândalo, prepara a minha chegada que te darei esta noite como presente e serei pra ti o que desejas, estarei ao teu lado quando acordares e te preencherei a solidão, ouvirei tuas canções e comerei tua poesia...

Nenhum comentário: